quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Sorteio da Rifa da Padroeira de Nossa Senhora Aparecida


O número sorteado pela loteria nesse mês de agosto 

foi o nº  822,

Quem ganhou foi o Thiago Marton

Em tempo... Encontrão de Catequese


Aconteceu no dia 21 de agosto de 2011, no auditório São Paulo, na sede da Canção Nova em Cachoeira, o encontrão de catequese. Dom Beni, nosso bispo diocesano, abriu o dia com uma missa para mais de 450 catequistas e o dia foi assessorado pela psicóloga Fabiana Gonçalves, que trabalha nos colégios Genesis e Drumond, na cidade de Lorena, e também foi catequista na paróquia de N.S.Aparecida, também em Lorena. Fabiana, na parte da manhã, falou sobre a importância do cuidado consigo para cuidar dos outros; e na parte da tarde falou das diferenças, psicologia das idades e do valor das dinâmicas e atividades contidas na coleção adotada pela diocese, para o processo evangelizador de crianças e jovens.
Animou o encontro a banda Gedalis, da paróquia Nossa Senhora Aparecida de Lorena. Foi um dia de reflexão e de festa, onde foi possível celebrar também a vocação do catequista. Com esse dia foi aberta a semana catequética em nossa diocese.



















FOTOS DA CATEQUISTA CLÁUDIA
PARÓQUIA NOSSA SENHORA DE FÁTIMA

Papa destaca importância da arte para "relação viva com Deus"


Bento XVI encontra-se com os fiéis reunidos na Piazza della Libertà, em Castel Gandolfo, para a Catequese



O Papa Bento XVI convidou na Catequese desta quarta-feira, 31, a redescobrir a importância da arte para a oração, "para a nossa relação viva com Deus".
O Pontífice recordou que, por diversas vezes, destacou a necessidade para cada cristão de encontrar tempo para Deus, para a oração, em meio às tantas ocupações do dia a dia. Nesse sentido, as expressões artísticas são um desses canais que podem conduzir a Deus e ser também auxílio para o encontro com Ele.

"A arte é capaz de expressar e tornar visível a necessidade do homem de ir além do que se vê, manifesta a sede e a busca pelo infinito. Na verdade, é como uma porta aberta para o infinito, para uma beleza e uma verdade que vão para além do cotidiano. E uma obra de arte pode abrir os olhos da mente e do coração, direcionando-os para o alto", afirmou

Acesse
.: NA ÍNTEGRA: Catequese de Bento XVI sobre a oração

No entanto, há expressões artísticas que são verdadeiras estradas rumo a Deus, a Beleza suprema, um auxílio para crescer no relacionamento com Ele, na oração. "Trata-se das obras que nascem da fé e que expressam a fé. Um exemplo o podemos ter quando visitamos uma catedral gótica. [...] Ou quando entramos em uma igreja românica. [...] Ou, então, quando escutamos um trecho de música sacra que faz vibrar as cordas do nosso coração, a nossa alma é como que dilatada e auxiliada a dirigir-se para Deus".

Por fim, o Bispo de Roma indicou que as expressões artísticas podem ser ocasiões para nos recordarmos de Deus, para auxiliar a nossa oração ou também a conversão do coração.

"A visita aos lugares de arte, portanto, não seja somente ocasião de enriquecimento cultural – embora também isso – mas, sobretudo, possa tornar-se um momento de graça, de estímulo para reforçar o nosso vínculo e o nosso diálogo com o Senhor, para parar e contemplar – na transição da simples realidade exterior à realidade mais profunda que expressa – o raio da beleza que nos atinge, que quase nos 'fere' no íntimo e nos convida a subir a Deus".


A audiência

O encontro do Santo Padre com os fiéis reunidos na Piazza della Libertà, em Castel Gandolfo, aconteceu às 10h30 (horário de Roma - 5h30 no horário de Brasília). A reflexão faz parte da "Escola de Oração", iniciada pelo Papa na Catequese de 4 de maio.

Na saudação aos fiéis de língua portuguesa, o Papa salientou:

"Amados peregrinos de língua portuguesa, uma cordial saudação de boas-vindas para todos, nomeadamente para os fiéis da diocese de Viseu. Procurai descobrir na arte religiosa um estímulo para reforçar a vossa união e o vosso diálogo com o Senhor, através da contemplação da beleza que nos convida a elevar o nosso íntimo para Deus. E que Ele vos abençoe. Obrigado".

SENHA DO DIA 31 DE AGOSTO DE 2011


Bom Dia !!

Vivendo em um mundo consumista, criamos necessidades que na verdade não existem.
Somos vítimas da publicidade elaborada cientificamente para exercer fascínio sobre as nossas mentes.
O carreirismo, a moda e a propaganda ditam as regras.
Da mesma forma acontece com a religião, quando vivida somente do ponto de vista das consolações espirituais.
Vivendo a vontade de Deus entendemos que nada nos falta e vivemos a nossa fé em uma união crescente com o Divino.
A vontade de Deus de cada instante contém em si tudo que necessitamos: apoio, consolação, luz, estímulo e força.
E ainda: comunhão entre todos, difusão do amor, relacionamento pessoal com Deus, saúde, harmonias, sabedoria e interação perfeita.
Para hoje, dia 31 de Agosto 2011:

" ACREDITAR QUE NA VONTADE DE DEUS ESTÁ TUDO "

Apolonio

Dia Litúrgico: Quarta-feira da 22ª semana do Tempo Comum



Evangelho (Lc 4,38-44): Naquele tempo, Jesus saiu da sinagoga e entrou na casa de Simão. A sogra de Simão estava sofrendo, com muita febre. Intercederam a Jesus por ela. Então, Jesus se inclinou sobre ela e, com autoridade, mandou que a febre a deixasse. A febre a deixou, e ela, imediatamente, se levantou e pôs-se a servi-los. Ao pôr-do-sol, todos os que tinham doentes, com diversas enfermidades, os levavam a Jesus. E ele impunha as mãos sobre cada um deles e os curava. De muitas pessoas saíam demônios, gritando: «Tu és o Filho de Deus!». Ele os repreendia, proibindo que falassem, pois sabiam que ele era o Cristo.

De manhã, bem cedo, Jesus saiu e foi para um lugar deserto. As multidões o procuravam e, tendo-o encontrado, tentavam impedir que ele as deixasse. Mas ele disse-lhes: «Eu devo anunciar a Boa Nova do Reino de Deus também a outras cidades, pois é para isso que fui enviado». E ele ia proclamando pelas sinagogas da Judéia.
Comentário: Rev. D. Homer VAL i Pérez (Barcelona, Espanha)
«Ele impunha as mãos sobre cada um deles e os curava. De muitas pessoas saíam demônios, gritando»
Hoje, nos encontramos ante um claro contraste: as pessoas que procuram Jesus e Ele que cura toda “doença” (começando pela sogra de Simão Pedro); à vez, «de muitas pessoas saíam demônios, gritando» (Lc 4,41). Quer dizer: bem e paz, por um lado; mal e desespero, pelo outro.

Não é a primeira ocasião que aparece o demônio “saindo”, isto é, fugindo da presença de Deus entre gritos e exclamações. Lembremos também o endemoninhado de Gerasa (cf. Lc 8,26-39). Surpreende que o próprio demônio “reconheça” a Jesus e que, como no caso daquele de Gerasa, é ele mesmo quem sai ao encontro de Jesus (isso sim, muito raivoso e incomodado porque a presença de Deus incomodava a sua vergonhosa tranqüilidade).

Tantas vezes nós também pensamos que encontrar-nos com Jesus nos atrapalha! Atrapalha-nos ter que ir à Missa no domingo; perturba-nos pensar que faz muito que não dedicamos um tempo à oração; sentimos vergonha dos nossos erros, em lugar de ir ao Médico da nossa alma para pedir-lhe simplesmente perdão... Pensemos se não é o Senhor quem tem que vir a nos encontrar, pois nós mesmos nos fazemos rogar para deixar a nossa pequena “caverna” e sair ao encontro de quem é o Pastor das nossas vidas! Isto se chama, simplesmente, tibieza.

Tem um diagnóstico para isto: atonia, falta de tensão na alma, angustia, curiosidade desordenada, hiperatividade, preguiça intelectual com as coisas da fé, pusilanimidade, vontade de estar só consigo mesmo... E existe também um antídoto: deixar de se olhar a sim mesmo e se por mãos à obra. Fazer o pequeno compromisso de dedicar um momento cada dia a olhar e escutar a Jesus (o que se entende por oração): Jesus o fazia, pois «de manhã, bem cedo, Jesus saiu e foi para um lugar deserto» (Lc 4,42). Fazer o pequeno compromisso de vencer o egoísmo numa pequena coisa cada dia pelo bem dos outros (isto se chama amar). Fazer o pequeno-grande compromisso de viver cada dia em coerência com nossa vida Cristã.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

ESCALA DE MÚSICOS - MÊS DE SETEMBRO /2011


Paróquia Nossa Senhora Aparecida


Dia 01 (quinta-feira)

Rosana
Dia 02 (sexta-feira)

Bere
Dia 03 (sábado)

Gedalis
Dia 04 (domingo)

Alex
Dia 08 (quinta-feira)

Rosana
Dia 09 (sexta-feira)

Bere
Dia 10 (sábado)  

Gedalis
Dia 11 (domingo)

Amor em Mensagem
Dia 15 (quinta-feira)

Rosana
Dia 16 (sexta-feira)

Bere
Dia 17 (sábado)

Santa Teresinha
Dia 18 (domingo)

Santa Teresinha
Dia 22 (quinta-feira)

Rosana
Dia 23 (sexta-feira)

Bere
Dia 24 (sábado)

Gedalis
Dia 25 (domingo)

Robson e Simone
Dia 29 (quinta-feira)

Festa de São Miguel Arcanjo
Dia 30 (sexta-feira)

Bere




Escala de Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão - Mês de Setembro de 2011



MÊS DE SETEMBRO-  Comunidade Santa Teresinha

Dia 04 (domingo)

Ricardo, Edson, Francisca e Marilda

Dia 11 (domingo)

Rosemeire, Marilda, Francisca e Christiani
Dia 18 (domingo)

Francisca, Christiani, Sebastião e Edson
Dia 25 (domingo)

Rosemeire, Ricardo,  Edson e Marilda
Dia 02/10 (domingo)

Christiani, Francisca, Marilda e Ricardo




IMPORTANTE:

·       Datas das formações para Ministros: 19/09, 20/10, 24/11.
·       Todos os Ministros e também os novos estão convidados a participarem da escola da Fé com o Prof. Felipe Aquino e do Núcleo de Crescimento com a psicóloga Fabiana.


Nossa Senhora Aparecida rogai por nós!!!!!!!!!



Escala de Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão

MÊS DE SETEMBRO– Comunidade São Cristóvão

Dia 04 (domingo)

Paulo César e Sandra
Dia 06 (terça-feira)

Inês
Dia 11 (domingo)

Patrícia e Evandro
Dia 13 (terça-feira)

Luciana

Dia 18 (domingo)

Inês e Luciana

Dia 20 (terça-feira)

Patrícia
Dia 25 (domingo)

Cleber e Paulo César

Dia 27 (terça-feira)

Cleber
Dia 02/10 (domingo)

Patrícia e Sandra






Escala de Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão

MÊS DE SETEMBRO – Matriz Nossa Senhora Aparecida

Dia 01 (quinta-feira)
               
Regina  e Ana Lucia

Dia 02 (sexta-feira)

Rosana e Roberta
Dia 03 (sábado)

Paulo Sérgio e Sebastião
Dia 04 (domingo)

Lourdes, Tânia, Rosemeire, Ana Lucia e Regina
Dia 08 (quinta-feira)

Lourdes e Rosemeire

Dia 09 (sexta-feira)

Rosana Cristina e           Ana Lucia
Dia 10 (sábado)

Tânia e Fátima
Dia 11 (domingo)

Paulo Sérgio, Rosana, Roberta, Almir e Lúcio
Dia 15 (quinta-feira)

Rosana e Sebastião 
Dia 16 (sexta-feira)

Lourdes e Regina
Dia 17 (sábado)

Roberta e Paulo Sérgio
Dia 18 (domingo)

Rosana Cristina, Lúcio, Almir, Fátima e Regina
Dia 22 (quinta-feira)


Roberta e Rosemeire
Dia 23 (sexta-feira)


Sebastião e Rosana Cristina
Dia 24 (sábado)


Regina e Tânia
Dia 25 (domingo)


Paulo Sérgio, Ana Lúcia, Rosana, Lourdes e Roberta
Dia 29 (quinta-feira)

Missa na Comunidade de    São Miguel
Dia 30 (sexta-feira)

Rosana e Lourdes
Dia 01/10 (sábado)

Fátima e Almir
Dia 02/10 (domingo)

Tânia, Rosana Cristina, Lúcio, Rosemeire e Regina



Escala de Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão




MÊS DE SETEMBRO
Comunidade de São Miguel Arcanjo – (Mondesir)


Dia 07 (quarta-feira)

Ana Lúcia
Dia  14 (quarta-feira)

Luciana


Dia 21 (quarta-feira)

Ana Lúcia
Dia 29 (quinta-feira)

Luciana e Ana Lúcia
_

SENHA DO DIA 30 DE AGOSTO DE 2011


Bom dia !!

Lendo o Evangelho, o que mais impressiona é a autoridade com a qual Jesus fala.
Nenhuma palavra pronunciada por ele é em vão. Toda ela surte o seu efeito.
Se nós vivermos cada uma delas, veremos os mesmos efeitos. Por isso a sua Palavra é sempre atual.
Viver de modo radical as suas Palavras não quer dizer ser fanático ou interpretar ao pé da letra o que está escrito.
É aplicar em nossa vida o seu ensinamento, sem diminuir o seu significado.
Todas as suas Palavras apontam na mesma direção: fazer a vontade de Deus.
E o que Deus quer de nós é que coloquemos amor em tudo que fazemos.
Para hoje, dia 30 de Agosto 2011:

" VIVER DE MODO RADICAL A PALAVRA DE VIDA "

Apolonio

Dia Litúrgico: Terça-feira da 22ª semana do Tempo Comum



Evangelho (Lc 4,31-37): Naquele tempo, Jesus desceu para Cafarnaum, cidade da Galiléia, e lá os ensinava, aos sábados. Eles ficavam maravilhados com os seus ensinamentos, pois sua palavra tinha autoridade. Na sinagoga estava um homem que tinha um espírito impuro, e ele gritou em alta voz: «Que queres de nós, Jesus de Nazaré? Vieste para nos destruir? Eu sei quem tu és: o Santo de Deus!». Jesus o repreendeu: «Cala-te, sai dele!». O demônio então lançou o homem no chão e saiu dele, sem lhe fazer mal algum. Todos ficaram espantados e comentavam: «Que palavra é essa? Ele dá ordens aos espíritos impuros, com autoridade e poder, e eles saem». E sua fama se espalhava por todos os lugares da redondeza.
Comentário: Rev. D. Joan BLADÉ i Piñol (Barcelona, Espanha)
«Eles ficavam maravilhados com os seus ensinamentos, pois sua palavra tinha autoridade»
Hoje vemos como a atividade de ensinar foi, para Jesus, a missão central de sua vida pública. Porém a pregação de Jesus era muito diferente da dos outros mestres e isso fazia com que as pessoas se espantassem e se admirassem. Certamente, ainda que o Senhor não tivesse estudado (cf. Jo 7,15), desconcertava a todos com sua doutrina, porque «falava com autoridade» (Lc 4,32). Seu estilo possuía a autoridade de quem se sabia o “Santo de Deus”.

Precisamente aquela autoridade no seu falar era o que dava força a sua linguagem. Utilizava imagens vivas e concretas, sem silogismos nem definições; palavras e imagens que extraía da própria natureza quando não das Sagradas Escrituras. Não há dúvida de que Jesus era um bom observador, homem próximo das situações humanas: ao mesmo tempo em que o vemos ensinando, também o contemplamos perto das pessoas fazendo-lhes o bem (curando as doenças e expulsando demônios, etc.). Lia no livro da vida diária as experiências que depois lhe serviriam para ensinar. Ainda que fosse um material tão simples e “rudimentar”, a palavra do Senhor era sempre profunda, inquietante, radicalmente nova, definitiva.

O mais admirável da fala de Jesus Cristo, era esse saber harmonizar a autoridade divina com a mais incrível simplicidade humana. Autoridade e simplicidade eram possíveis em Jesus graças ao conhecimento que possuía do Pai e de sua relação de amorosa obediência a Ele (cf. Mt 11,25-27). Esta relação com o Pai é o que explica a harmonia única entre a grandeza e a humildade. A autoridade de seu falar não se ajustava aos parâmetros humanos; não havia disputa, nem interesses pessoais ou desejo de sobressair. Era uma autoridade que se manifestava tanto na sublimidade da palavra ou da ação como na humildade e simplicidade. Não houve nos seus lábios nem alabança pessoal, nem soberba nem gritos. Mansidão, doçura, compreensão, paz, serenidade, misericórdia, verdade, luz, justiça... Foi o aroma que rodeava a autoridade de seus ensinos.