SEMANA DA FAMÍLIA

SEMANA DA FAMÍLIA

De 18 de Agosto a 24/08/2012

Local: Paróquia N S Aparecida Lorena SP

Pároco - Pe. Rodrigo Fernando Alves

Diác. Ney Guimarães

TEMA: A espiritualidade cristã na família: um casamento que dá certo

Terço: De 2º á 4º feira ás 19h

De 5º á sábado: 18h

PROGRAMAÇÂO:

Dia 18 de Agosto - Segunda-feira

Temas: “ A espiritualidade cristã na família” e “ A prática espiritual do casal/família: comunhão e fidelidade”

Convidados : Pastoral Familiar, Pascom, Ministros e Irmandade

Dia 19 de Agosto - Terça-feira

Temas: “ Família de Nazaré modelo de espiritualidade pela confiança e obediência” e “A eucaristia dominical: expressão maior de espiritualidade”

Convidados: Pastoral Familiar, Liturgia, Santa Teresinha, Vicentinos, RCC, Comunidade São Cristovão

Dia 20 de Agosto - Quarta-feira

Temas: “ A religiosidade e a piedade populares no exercício da espiritualidade cristã” e “ Família, Igreja doméstica: lugar especial da espiritualidade cristã”

Convidados: Pastoral Familiar, Catequese, Dízimo, Pastoral da criança, Comunidade São Miguel, Comunidade São Domingos Sávio, Mãe Rainha

Dia 21 de Agosto - Quinta-feira Santa Missa – 19h

Tema: “ Desafios de espiritualidade cristã na família pela comunhão”

Pe. Rodrigo Fernando Alves

Dia 22 de Agosto - Sexta-feira

Momento com as famílias: louvor, adoração e benção do santíssimo sacramento

Convidados: Pastoral Familiar, Jovens Sarados e Coroinhas

Dia 23 de Agosto - sábado

Encerramento ás 19h Santa Missa/ Pe. Rodrigo Fernando Alves

Convidados: Festeiros

Dia 24 de Agosto - Domingo às 17h

Encerramento: Praça Arnolfo de Azevedo

­­­

“A salvação chega mediante o amor. Porque é impossível abusar do amor” (Santo João Paulo II)

Venha participar com sua família neste momento de renovação e alegria!!!

Pastoral Familiar PNSA

quarta-feira, 17 de junho de 2009

MENSAGEM SOBRE O DÍZIMO


O QUE É O DÍZIMO?


A inspiração com que cada um vê ou percebe o dízimo vai atribuir-lhe um significado.

Assim, ouve-se que é gesto de amor, de agradecimento, expressão de fé, de solidariedade, de fraternidade, retribuição aos dons e bênçãos de Deus, manifestação de responsabilidade para com a Igreja e o plano de Deus, e outros inúmeros qualificativos que buscam defini-lo.

De fato, o dízimo assume diferentes expressões em razão do que o motiva (por que o oferto?) ou de sua destinação (para que o oferto?). Mas uma palavra enfeixa todas as suas possíveis definições: AMOR.

Num primeiro momento, devo reconhecer pelos dons gratuitos que recebo de Deus - a começar pela vida, pela saúde, pela inteligência -, o imenso AMOR que Ele tem por mim. Depois, manifesto de forma objetiva minha gratidão, retribuindo a Ele este sentimento em gesto concreto de AMOR através dos meus irmãos.

O homem do campo, com muita facilidade, vê a ação de Deus, a colaboração, a parceria de Deus em seu trabalho. É a terra, o sol, a chuva, que, no tempo e na quantidade certa, fazem brotar a semente, desenvolver a planta, gerar o fruto. E reconhecendo a eficácia dessa parceria, à época da colheita, como retratado no Antigo Testamento, oferta a Deus o dízimo, a décima parte, de tudo o que produz.

Hoje, a maioria de nós está confinada em grandes centros urbanos. Nosso campo são as fábricas, os escritórios, as lojas de comércio.
A semente é nossa vida, é nossa saúde, nossa inteligência, dons de Deus que colocamos a serviço. Nossa colheita, fruto de nosso trabalho, é o salário que recebemos no final de cada mês, ou aquilo que recebermos por qualquer trabalho, seja a que título for, em que empreguemos aqueles dons. Então, testemunhando a gratidão a Deus e manifestando nosso amor à Igreja e aos irmãos, também ofertamos nosso dízimo.

O dízimo é, pois, uma retribuição que fazemos a Deus de parte do que gratuitamente Dele recebemos um pouco de nós mesmos; e o fazemos através da Igreja, para que ela possa cumprir a missão da qual Jesus a incumbiu.
É DESAFIO na Fé.

Desafio significa superar algumas aparentes dificuldades que encontramos na vida. Com o dízimo não é nada diferente. O desafio do dízimo é o da confiança na palavra de Deus e o de se lançar nessa proposta.

Existe uma história sobre um alpinista que muito bem ilustra a nossa reflexão.

“Esta é a história de um alpinista que sempre buscava superar mais e mais os desafios. Ele resolveu, depois de muitos anos de preparação, escalar o Aconcágua. Mas ele queria a glória somente para si, e resolveu escalar sozinho, sem um companheiro.
O alpinista começou a subir e foi ficando cada vez mais tarde. Como não havia se preparado para acampar, resolveu seguir a escalada, decidido a atingir o topo. Escureceu, e a noite caiu como um breu, nas alturas da montanha. Não era mais possível enxergar um palmo à frente do nariz. Não se via absolutamente nada. Tudo era escuridão: não havia lua e as estrelas estavam cobertas pelas nuvens.
A apenas 100 metros do topo, o alpinista caiu a uma velocidade vertiginosa, vendo apenas as manchas que passavam cada vez mais rápidas na mesma escuridão e sentindo a terrível sensação de ser sugado pela força da gravidade.
Nesses angustiantes segundos, passaram por sua mente todos nos momentos felizes e tristes que havia vivido...
De repente, sentiu um puxão forte que quase o partiu pela metade... shack!
Como todo alpinista experimentado, havia cravado estacas de segurança com grampos a uma corda comprida fixada em sua cintura.
Naquele momento de silêncio, suspenso nos ares, na completa escuridão, nada lhe restou a não ser gritar:
- Ó meu Deus, me ajude!!!
Uma voz grave e profunda vinda do céu, respondeu:
-Que queres de mim, meu filho?
-Salve-me, meu Deus, por favor!!!
-Realmente acreditas que eu possa te salvar?
-Eu tenho certeza, meu Deus!!!
-Então corta a corda que te mantém pendurado...
Houve um momento de silêncio e reflexão. O homem se agarrou mais ainda à corda e acreditou que, se a cortasse, morrerria...
Conta o pessoal de resgate que, no outro dia, foi encontrado um alpinista congelado... morto... agarrado com força, com as duas mãos, a uma corda... Apenas a dois metros do chão...” (ln Jornal de Opinião —7 a 13. /2.000).

Pe. Emílio Carlos Mancini
Fundador Comunidade Alpha e Ômega

Nenhum comentário: